sábado, 17 de dezembro de 2016

ATIVAÇÕES GALÁTICAS: TRANSFIGURAÇÃO DO EU INFERIOR & O PORTAL DO SOLSTÍCIO


Por Natalia Alba
16 de Dezembro de 2016

Amadas Almas Sementes Estelares,

À medida que nos aproximamos do fim deste amoroso mês e deste Ciclo, as frequências que estamos integrando, de modo consciente, vão ficar mais intensas até o fim de dezembro, quando finalmente teremos um período de alívio até janeiro, para restaurar plenamente nossos corpos físicos, após essa última onda galáctica. Mesmo antes do Portal 12/12 e da Super Lua em Gêmeos, quando as suas energias foram sentidas profundamente nos dias anteriores a esses eventos cósmicos, muito dentre nós fomos constantemente redirecionados em nosso caminho anímico para novos modos de viver e de fazer as coisas, bem como experimentar uma completa repadronização/calibração de nossos corpos tanto no estado desperto quanto no astral.

Como almas em ascensão, o nosso principal objetivo ao ajudar o Todo, é continuar incorporando mais da luz que a nossa Presença EU SOU faz descer para o nosso ser humano. Se vocês estiverem interna e fisicamente preparados para integrar sua sabedoria, visto que nunca podemos fazer descer a totalidade de nossa alma, uma vez que o nosso corpo físico simplesmente se dissiparia. Portanto, fazemos isso em pequenas doses quando estamos prontos para incorporar um estado de ser de vibração mais elevada. Quando os nossos corpos precisam ser assistidos em um plano não físico, para ajustar-se a esses novos códigos de luz, somos ajudados por nossos guias e o Eu Superior para ir aos locais astrais/etéricos na Terra, que estejam alinhados com esses códigos estelares/cósmicos que ajudarão a nos purificar de mais coisas do velho e adotar as frequências superiores, e, portanto, os níveis da verdade.

Essas intensas ativações continuarão para aqueles cujos contratos de alma incluam essas experiências e/ou para aqueles que estejam prontos e que escolheram conscientemente estar nesse caminho, sincronizando-se com as frequências cósmicas transmitidas pelo alinhamento entre a Terra, Sírius, Alcyone e o buraco negro do nosso Centro Galáctico, com que vamos nos defrontar, como todo ano, por volta do solstício. Essas atualizações tendem a ocorrer à noite, (embora possam também acontecer durante o dia) porque o nosso eu humano não pode interferir com o que está recebendo, visto que está “adormecido” e não julga o processo ou o que não consegue compreender. Outras vezes, para nos proteger, uma vez que interferirá com o nosso caminho anímico, neste momento, e é melhor que não nos lembremos. Tudo é de acordo com o que nos ajudará mais em nossa jornada humana.

Conforme vocês sabem, Sírius está nos ajudando em nosso processo de ascensão a integrar e equilibrar nosso sentido de polaridade. Sírius detém uma essência yang (masculina). Enquanto Alcyone, em homenagem à mitológica Deusa Grega Alcyone, e a principal e maior estrela da constelação das Plêiades, sustenta uma essência yin (feminina), que juntamente a essa última Lua em Gêmeos, nos ajudam a sintetizar a partir de dentro – de modo que possamos manifestar essa mesma harmonização em nossas vidas físicas.

Finalmente, a radiação emitida pelo buraco negro do Centro Galáctico nos ajuda – principalmente no coletivo – a experimentar um profundo processo de limpeza que libera velhas crenças/programas e comportamentos repetitivos que ainda mantemos em nosso âmago e que estão nos impedindo de desbloquear o nosso verdadeiro potencial, como seres divinos livres. É vital, neste momento, manter uma intenção consciente para equilibrar as nossas essências femininas e masculinas, em vez de polarizar – manifestando os comportamentos distorcidos femininos e masculinos – se desejamos agir a partir de um estado unificado de ser e não de um egoico.

Muitos dentre nós, estão experimentando essas ativações neste momento de transição, em diferentes locais etéricos – lugares chaves na Terra alinhados com outras civilizações estelares – cujos códigos estelares vão nos ajudar na transformação interna/física que estamos enfrentando em nossa jornada ascensional para recuperar a sabedoria antiga, assim como atualizar os nossos veículos físicos, porque somos todos, na verdade, portais galácticos conectados ao Todo dentro da Criação. Algumas noites atrás, eu tive uma outra ativação em um lugar que não reconheci, em absoluto, até que acordei e perguntei aos meus guias – Monte Hermon (localizado no paralelo 33, norte), onde eu tive uma completa repadronização do meu corpo, o que me deixou exausta durante o da. Monte Hermon foi onde o nosso amado Mestre Ascenso Jesus teve a própria transfiguração – algo que o nosso eu inferior está experimentando neste momento para fundir-se com o Eu Superior e renascermos como seres soberanos e radiantes que realmente nós somos em essência, no físico.

Também vivenciei outra ativação galáctica em outro local que reconheci imediatamente (muito perto do paralelo 33 também) como as Pirâmides de Gizé, para ser exata, a Pirâmide de Quéfren, onde permaneci recebendo um enorme download que chacoalhou a minha coluna vertebral e que devido à intensidade dos sintomas, que senti como choques elétricos, poderia não ter resistido no estado desperto. Como vocês sabem, a nossa coluna vertebral é muito importante em nosso caminho ascensional, visto ser uma das principais partes de nossos corpos onde começamos a notar que estamos mudando e, portanto, estamos sendo atualizados novamente.

Cuidar de nossos corpos enquanto essas ativações prosseguem, beber muita água e comer o que for mais leve possível, é essencial para que limpemos os canais para que a nova orientação flua e deixe os nossos corpos liberar toda a energia estagnada que nos impede de estar em nosso estado natural de bem-aventurança – nos tornando receptivos a toda a sabedoria que está constantemente sendo emanada sobre nós, através do sétimo chacra. Lembrem-se, amados, estar ancorado é também tão importante quanto trabalhar com os nossos chacras superiores, visto que todos trabalham em uníssono, e o nosso principal objetivo não é apenas permanecer no etéreo, mas descer e ancorar todo esse conhecimento cósmico para o nosso domínio tangível.

Após nos nutrirmos e nos recuperarmos plenamente dessas profundas ativações, não vamos reconhecer mais quem nós fomos apenas um momento atrás, uma vez que notaremos imediatamente que não nos vemos nem a nossa realidade da mesma maneira. Nós nos tornamos agora observadores em vez de juízes, criamos intencionalmente nossa realidade em vez de simplesmente participar com os outros ou permitir que as condições externas e as pessoas ditem nosso sagrado espaço e como ele deve ser.

Sentimos a densidade desta dimensão como nunca antes, os comportamentos repetitivos nos outros, devido aos seus antigos programas ainda ativos, a lentidão…mas acima de tudo, estamos cheios de humildade, porque não somos mais especiais do que ninguém na Criação, somos apenas seres experimentando um caminho diferente de cocriação consciente e gratidão, por tudo que esta velha realidade nos tem demonstrado, porque sozinhos jamais evoluiríamos  nesta jornada.

Toda vez que, conscientemente, nos lembramos e decidimos integrar os níveis superiores da consciência, pode ser um caminho solitário para as almas ascendentes, pode também ser desafiador, porque já não somos compreendidos por nossa família ou amigos, mas é também uma mudança interior/processo que nos permite acolher os novos aspectos da verdade, bem como ver a realidade     como realmente ela é, em lugar da realidade que o nosso limitado eu inferior recria.

Visto que o Universo sempre funciona de um modo misterioso, porém perfeito para todos, no dia seguinte, 19 de dezembro, Mercúrio, o mensageiro alado, ficará retrógrado – permitindo que nos restauremos dessas novas atualizações. Mercúrio retrógrado nos   oferece energias tranquilizadoras dentro dessa turbulência neste amoroso mês, antes que entremos em um ciclo totalmente novo. Quando temos o mensageiro alado retrógrado, simplesmente somos convidados a comungar com os nossos aspectos superiores, percebendo onde estamos contraídos em vez de expansivos, antes que estejamos prontos para nos elevar novamente – renovados – mantendo uma perspectiva mais ampla de nossa experiência.

Como sempre digo, o medo humano programado acerca de um planeta estar retrógrado ainda está presente em muitas pessoas. Quando incorporamos um nível mais elevado de consciência, quando nos informamos de maneira adequada – visto que lá fora existe muita propaganda falsa – compreendemos que neste sábio e amoroso Universo nunca há nada retrógrado, isso é apenas uma ilusão a partir da Terra, nunca há nada em câmara lenta neste Universo de luz, há apenas momentos para serem vividos internamente e momentos para emergir novamente de uma nova forma, com uma nova direção a seguir.

Nesse mesmo dia, também teremos o guerreiro, Marte, que entrará em Peixes. Marte representa nossa força interior, poder e energia. Quando essa poderosa força se encontra com a essência amorosa de Peixes, somos convidados a ser criativos e direcionar a nossa sensibilidade e dons anímicos para o que nos motiva, para trazer nossas visões para o tangível e honrar o criador interno que todos nós temos. Quando direcionamos a nossa preciosa energia para a criação de algo que seja útil a todos, todo o Universo celebra porque nunca estamos isolados e aquilo que criamos – para nós – o fazemos para todos.

Alguns dias depois, em 21 de dezembro, o Sol entrará no signo de Capricórnio. O Sol representa nosso Eu Superior, nossa Essência, portanto, quando o Sol deixa brilhar a sua luz em um signo do zodíaco, e portanto, em um aspecto específico nosso, isso significa que somos convidados a desenvolver e trabalhar nesse nosso lado concreto. Se fomos convidados, com o Sol em Sagitário, para celebrar o lugar em que estamos e saborear cada momento em puro regozijo, visto que continuamos a navegar por todos os mundos interiores para encontrar a verdade, agora, com o Sol em Capricórnio, somos convocados a nutrir o nosso aspecto que traz as coisas à manifestação, tornando-as tangíveis, e prestar atenção não somente às nossas partes que são Uma com Tudo o que É, mas também com os nossos aspectos que necessitam ser nutridos no plano material, visto que eles sustentam os nossos veículos físicos e nossas vidas.

Nesse mesmo dia, também comemoramos o solstício de inverno/verão, dependendo de onde vocês vivem. O solstício, uma infusão de harmonia para todos nós nesta época, é apenas um ciclo natural na Criação em que somos lembrados das diferentes polaridades que também se encontram internamente, assim como o equilíbrio que devemos criar em ambos, para agir como seres unificados em vez de promover a separação que o nosso eu egoico cria. No hemisfério sul, eles comemoram a luz e a alegria que o verão traz. No lado oposto, no hemisfério norte, celebramos o movimento para dentro, visto que é inverno e tendemos a associá-lo com um estado mais tranquilo de ser.

Os ciclos humanos são essenciais para que compreendamos a natureza da nossa essência e de todas as coisas na Criação, mas pode não haver um equilíbrio perfeito se apenas nos concentrarmos em um polo, e é exatamente por esse motivo que não importa onde vivemos no mundo ou como as condições externas parecem ser, devemos sempre celebrar a luz interior. Porque o Universo não está interessado nas estações ou no que está constantemente mudando, mas em nos lembrar de que além das mudanças físicas em que nos limitamos, nosso verdadeiro estado de ser é uma consciência unida constante.

Dezembro é uma dádiva para irmos além das velhas crenças e programas limitados da terceira dimensão que nos impedem de ver plenamente o que a nossa Essência Crística realmente significa, e possamos acolher as novas ativações que estamos recebendo e que nos ajudam a ancorar completamente o modelo pentadimensional e a Nova Terra Eterna, que estamos construindo conscientemente, ao sustentar uma frequência superior e agir como seres compassivos e amorosos que sempre fomos com todos. Como sempre, não somos presenteados com essas bênçãos cósmicas em um único mês ou dia, mas a cada momento de nossa existência humana.

A escolha é nossa para finalmente nos desvencilharmos das ilusões que há tanto tempo o nosso eu humano criou e acessar este Novo Ciclo com o coração aberto, ou continuar a representar velhos cenários que já foram aprendidos, apenas porque temos medo das bênçãos desconhecidas que este Universo benevolente sempre tem para nós.

Com amor e luz, sempre.
Respeite os créditos ao compartilhar a mensagem! 
Fonte secundária: Adavai Blog
Tradução: Ivete Brito (adavai@me.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço antecipadamente o seu comentário! Ele será respondido o mais breve possível!