sábado, 16 de julho de 2016

A EFEMERIDADE DA BELEZA FEMININA


Por Thiana Furtado 
14 de julho de 2016

Sabemos que nada dura para sempre.

Muito mais do que status, a beleza da alma feminina é de essência divina.

Saibamos desfrutar do que o tempo generosamente nos concede a cada manhã que nos levantamos apressadas da cama.

Lembre-se que, como tudo na vida, as coisas passam, nossas experiências só duram o tempo que mereçam, e tudo isso passa rápido como um trem em movimento.

Contudo, junto das nossas experimentações, chegam também as preciosas lições que o tempo nos ofertou como recompensa, de todas as nossas experiências vivenciadas.

Todas nós guardamos e armazenamos em nós, os requintes do bem vestir-se, do bom gosto, das peculiaridades de nossas personalidades, que nos torna únicas. Somos únicas na qualidade que nos faz especiais.

Apresentamos como cartão de entrada, o nosso cuidado com o cuidar-se bem, com expressões das mais variadas formas, que nos personificam mulher. É sabido e todos podem perceber, que oferecemos atributos que regozijam olhares. Mas engana-se quem pensa que tentamos agradar somente ao sexo oposto.

Vou lhes contar um segredo emprestado de minha alma, e que creio que faça parte de nossa espécie. Somos excepcionais. E gostamos de nos sentir assim.

Gostamos de nos sentir admiradas, mas gostamos sobretudo de manter ao nosso lado, pessoas que nos tratem com gentileza e com cuidado, pois apesar de sermos fortes e nos protegermos nos recônditos profundos do que abrigamos em nosso interior, muitas vezes somos frágeis como cristal.

Queremos ser respeitadas, bem tratadas, e que apreciem com a devida atenção, o prazer de conviverem conosco. A grande verdade que não se pode calar, é que embora guardemos em nós, os mistérios que jamais serão desvendados, temos também afunilado em nós, o grande embriagar de sensações, que pode sentir, quem desfruta por alguns instantes ou por horas a fio da nossa companhia.

É com muita verdade que emprestamos ao mundo, a nossa versão multicolorida de diferentes formas de se enxergar a vida e as coisas desse tempo fecundo e translúcido. É claro que não podemos generalizar a questão.

Assim como no sexo masculino, no sexo feminino, existem as mais variadas espécies de seres humanos.

Mas mesmo as que deixam a desejar como pessoas e como coadjuvantes de suas próprias histórias, há que se levar em conta, que todas somos passíveis de erros e de desacertos, e que todas nós merecemos um lugar ao sol, neste planeta que abriga uma partícula infinita do cosmos.

Que muitas vezes erramos e possuímos nossos defeitos, mas muitas de nós, ou a grande maioria de nós, olhará bem de perto para isso, no decorrer de sua vida e de suas experimentações, amargas ou não, adocicadas ou não.

Perdidas muitas vezes em fantasias, porque possuímos o coração do tamanho do mundo, mas que tantas vezes despertamos de nossos contos de cinderelas, para percebemos que a vida é muito mais do que acreditávamos ser, em nossa mais tenra idade.

São tantas as responsabilidades, são tantos os deveres que perfazem o nosso cotidiano, que resta-nos muito pouco tempo para que sonhemos extensivamente. Somos acordadas cada vez que os filhos choram, cada vez que o dever clama por nós, cada vez que o universo fala em alto e bom som, que somos fundamentais para as andanças fundamentais do girar do globo.

Somos nós, tanto quanto os homens, essenciais para que as coisas não saiam do trilho, e esse trilho representa as obrigações que abraçamos com beleza e alegria, fazendo peripécias para que ainda nos sobre tempo para o lazer, e para estar entre os nossos mais caros familiares e amigos. Somos unicidade.

Ser mulher, apesar de todas as dificuldades, é um privilégio; é algo como estar com calos nos pés, e continuar andando, mesmo que o sapato doa.

Somos invencíveis e incansáveis, somos a força que Deus nos concedeu na hora do parto, seja ele natural ou como com um pequeno, mas profundo corte na barriga.

Enfrentamos medos, tudo isso apenas para que com toda segurança, possamos constituir uma linda família, ou como quando com muito heroísmo, cuidamos da prole sozinhas.

A quarta pessoa que faço uso no texto, é para exemplificar as mulheres guerreiras que sempre avistei dos meus arredores, tanto as que sempre estiveram próximas de mim, quanto as mais distantes.

Afirmo tudo isso, mantendo no coração, a certeza de que não devemos e nem podemos competir com o sexo oposto, que estarmos lado a lado já é o suficiente, e isso cabe perfeitamente na justiça da disparidade.

Querer ser mais, é um defeito que não vale a pena ser enaltecido ou comentado. Somos únicas, somos únicos!

Sejamos merecedoras de tudo aquilo que formos em busca quando deitamos a nossa cabeça no travesseiro e fazemos planos, nos permitindo novamente sonhar.

Seja singular, seja você, acredite em seu potencial, sem ter que para isso, derrubar ninguém. Somos lindas quando nos tornamos merecedoras de ocupar a posição de guardiãs fecundas do amor, conforme o cara lá de cima nos ofertou. Seja bela, seja sempre você!

Acredite na vida, ela é a vida que nunca cessa, a esperança que nunca morre, e a esperança que sempre vem…

Tudo passa na vida, menos nós, nós somos o para sempre, e o para sempre não acabará jamais.
Respeite os créditos ao compartilhar a mensagem! 
Blog Feminino Quântico:http://www.femininoquantico.com.br/2016/07/a-efemeridade-da-beleza-feminina.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço antecipadamente o seu comentário! Ele será respondido o mais breve possível!